Quando deixar a casa da sogra e procurar um imóvel próprio?

Quando deixar a casa da sogra e procurar um imóvel próprio?

Esse é um assunto controverso e, por vezes, polêmico. Alguns dizem que morar com a sogra pode ser algo normal e até agradável. Outros, no entanto, afirmam que essa convivência é praticamente impossível; não são raros os casos de anedotas e brincadeiras em relação às sogras, mas também há quem as defenda como uma segunda mãe.

Desses diferentes pensamentos, surge uma necessidade que parece ser unânime: um casal precisa ter sua privacidade e intimidade preservadas e, por melhor que seja morar com a sogra, as interferências sempre vão aparecer.

Se você está nessa situação, continue a leitura desse post e saiba se chegou a hora de deixar a casa da sogra e procurar um imóvel próprio.

1. Dificuldades em estabelecer limites na convivência

É natural que ao conviver na mesma casa, o casal e a sogra tenham os mesmos benefícios e responsabilidades no lar. Contudo, às vezes, a sogra poderá avançar o sinal ou “dar pitacos” na vida do genro e da filha. Assim, a tendência é que a convivência seja muito intimista e os limites ultrapassados.

Por isso, ao perceber que os limites não estão sendo respeitados, chegou a hora de fazer uma análise e buscar alternativas para adquirir um imóvel próprio.

2. Dificuldades em educar os filhos por causa da interferência

Quem nunca passou por situações em que outras pessoas opinam na forma em que se educa os filhos? Isso acontece até por parte de pessoas que não têm uma convivência tão próxima à família.

Agora, imagine você que mora com a sogra: normalmente, as avós tendem a proteger os netos, ainda mais quando moram na mesma casa. Assim, é possível que você perca a autoridade perante seus filhos.

Talvez a hora de procurar um imóvel próprio seja, ainda, antes de aumentar a família. Porém, se você já tiver filhos e sentir que está perdendo a autoridade por causa da forma serena da vó, é chegada a hora de pensar na mudança.

3. Não se sentir à vontade numa casa que não é sua

Para quem está chegando, a dificuldade de manter uma voz ativa é muito maior. Você vai ficar ali, praticamente, de favor. Mesmo que cubra, com seu salário, as despesas da casa, o lar continua sendo da sogra. Aliás, foi você quem precisou do socorro dela.

Morar na própria casa permite crie um verdadeiro lar e dê seu toque pessoal a ele, além de que as tomadas de decisões serão voltadas para o benefício do casal e da família, acima de tudo.

4. Privacidade e intimidade do casal prejudicadas

Os pontos mais prejudicados ao morar com a sogra são a privacidade e intimidade do casal. Morar num imóvel próprio, somente o casal e os filhos, por menor que seja o espaço, é sempre mais aconchegante. Dessa forma, a liberdade de ir e vir e a proximidade com a esposa serão os prêmios por ser autossuficiente.

A intimidade será prejudicada desde o primeiro dia, visto que vocês sempre estarão morando com uma outra pessoa. A privacidade poderá ser invadida de forma deliberada, mesmo que com a melhor das intenções. O fato é que, por morar na mesma casa, é possível que a sogra nem se dê conta de que está interferindo na relação do casal.

E aí, gostou do conteúdo e está procurando uma alternativa para deixar a casa da sogra e procurar um imóvel próprio? Então conheça um pouco mais sobre o programa “Minha Casa, Minha Vida” do governo federal!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ligamos para você