6 gastos ao comprar um apartamento que você não sabe que vai ter

6 gastos ao comprar um apartamento que você não sabe que vai ter

Você já parou para analisar de perto todos os investimentos necessários para comprar um apartamento? Para quem acha que eles se resumem apenas ao valor do imóvel, saiba que este é um grande engano!

Além do valor do imóvel em si, existem despesas que envolvem regularização da documentação, o pagamento de impostos, possíveis reformas e outras responsabilidades que também devem ser levadas em consideração.

Quer descobrir quais são os principais gastos ao comprar um apartamento? Veja a lista que preparamos aqui e planeje-se com antecedência para fazer esse investimento!

1. ITBI

ITBI é a sigla para Imposto de Transmissão de Bens Imóveis. Esse gasto nada mais é do que uma taxa municipal referente à compra de um imóvel, a qual deve ser paga para a prefeitura da cidade. Geralmente, esse valor gira em torno de 2% do valor do imóvel, mas pode ser um pouco menor para os que custam menos de 73 mil reais.

Para entender melhor o quanto será cobrado, é preciso saber diferenciar o valor venal — que é o preço de mercado do imóvel — do valor de transação — que é o valor que foi efetivamente pago na venda. Dependendo da cidade, o ITBI é calculado em um desses dois valores, mas geralmente é feito no venal.

2. Escritura pública

A escritura pública também é um custo que deve ser levado em consideração para quem quer comprar um apartamento. Ela só se aplica caso a compra seja feita à vista, pois quando há algum tipo de financiamento, o contrato feito com o órgão que financiará a compra já vale como tal documento.

Caso você opte pela compra à vista, fique atento: os valores que compõem essa taxa variam dependendo do estado e também de acordo com o preço do imóvel. Então, não deixe de consultar como será feito o cálculo no seu estado.

3. Registro do Imóvel

Emitido pelo cartório da cidade, o registro do imóvel é o documento que comprova quem é o proprietário do apartamento perante a lei. O valor desse registro consiste na soma de várias taxas que, assim como a escritura, também variam de estado para estado.

Para evitar surpresas futuras ao comprar um apartamento, portanto, é fundamental que você entenda como é calculada essa taxa no seu estado.

4. Taxa de avaliação

Muitas vezes, é preciso fazer uma vistoria no imóvel para avaliar qual é o seu valor real. Essa avaliação é cobrada de acordo com a tabela do banco que foi escolhido para realizar o trabalho, e vale lembrar que, ainda que a transação não se concretize, o valor não será reembolsado. Então, caso o comprador queira contar com esse serviço, é bom preparar o bolso!

5. Reparos e reformas

Uma das coisas que poucos pensam antes de comprar um apartamento é que possíveis reformas serão necessárias, ainda que o imóvel seja novo. Afinal, na maioria dos casos é preciso fazer alguns reparos para adaptar o local, permitindo que ele supra as necessidades de todos os moradores.

O indicado é já reservar um valor para isso e não se esquecer de levar em consideração possíveis gastos com a mudança e móveis novos, caso seja necessário.

6. Taxa de corretagem

Caso a transação seja intermediada por uma imobiliária ou um corretor de imóvel, é provável que seja cobrada uma taxa de corretagem. Essa taxa corresponde de 6 a 8% do valor da compra, conforme estabelecida pelo Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis), e é algo previsto pela legislação brasileira.

Agora que você já conhece os principais gastos ao comprar um apartamento, que tal ajudar outras pessoas a ficar por dentro do assunto? Compartilhe esse post nas suas redes sociais e marque os amigos que estão pensando em adquirir um imóvel!

Gostou do texto? Não gostou? Comente abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ligamos para você